Udesporto - Jornal desportivo online com blog e análise de jogos

Fórmula 1 Aug 07, 2019 Ana Ventura

GP da Hungria: Pobre Max...

A última corrida da primeira metade da temporada foi outra corrida que mostrou que o desporto que tanto gostamos não está assim tão "morto" como dizem. Pela quarta corrida consecutiva houve emoção, estratégias e muita paciência por parte dos pilotos que lideravam a corrida e as suas respetivas equipas. 

NOTA + 

Mercedes

Começaram mal, com o carro 77 a cair para último, mas focaram-se naquele que estava mais perto de vencer. Uma boa estratégia a de pararem e terem pneus novos para o resto da corrida. Foi uma ótima ideia, uma vez que bloquearam qualquer resposta da Red Bull. Os pneus ajudaram Hamilton e lá conseguiram a vitória. O trabalho dentro das boxes é também essencial, não basta só ser rápido.

Sebastian Vettel

Não sei se por se ter afastado dos holofotes de rival direto do Hamilton, ou por tirar um tempo para si, mas o alemão tem estado mais focado na sua corrida. Já na Alemanha esteve bem com o ritmo de corrida e aqui ficou à espera da (ordem) oportunidade para ultrapassar o seu colega e assim acabar mais uma vez no pódio. Manteve-se entre o quinto e o quarto lugar, mesmo à espera para atacar.

Max Verstappen

Pobre holandês, teve tudo para ganhar a corrida onde conquistou a sua primeira pole position. Estava tudo a correr como devia, mas foi uma vítima nas escolhas da Red Bull. Decerto que lhe partiu o coração, mas o segundo lugar consegue aquecer um pouco a tristeza que Verstappen deve sentir.

Valtteri Bottas

Desceu para último e teve um trabalho redobrado por ter que ultrapassar carros mais lentos mas que, por lutarem por posição, são mais difíceis de ultrapassar. Acabou em oitavo lugar, e deu quatro pontos à Mercedes que extende a sua liderança.


NOTA – 

Lewis Hamilton

Estranho? Não. Apesar de ter ganho a corrida, não parava de dizer no rádio que não iam conseguir ou que os pneus iam morrer tal como os de Verstappen. Não sei se serei só eu, mas ultimamente, talvez mais que nunca, tenho ouvido o inglês a reclamar de tudo o que há, não se contenta se não está em primeiro. Mas a verdade é que a vitória foi dele, e fez figura de urso no rádio.

Red Bull

O grande erro de hoje foi não terem parado Verstappen mais cedo, ou até mesmo depois de Hamilton. “Ah, mas depois saíamos atrás dele”. Bem, o inglês provou que mais vale para e meter pneus frescos para uma última tentativa do que viver com pneus que não têm mais para dar. Má escolha por parte da equipa austríaca.