Udesporto - Jornal desportivo online com blog e análise de jogos

1. Bundesliga Jan 15, 2020 João Pedro Gonçalves

Schalke 04. Casa roubada (sem) trancas nos contratos

O último grande título da formação de Gelsenkirchen foi a Taça UEFA de 1996/97. Com uma presença irregular nos grandes palcos europeus e com prestações inconstantes, o Schalke 04 tem-se demarcado pelas estrelas mundiais que têm vestido a camisola azul.

Atualmente no quinto lugar da Bundesliga, a equipa alemã prepara-se para perder o guardião da sua baliza, Alexander Nübel, para o rival Bayern de Munique, a custo zero. Este parece já um cenário habitual no 14.º classificado do principal escalão do futebol alemão na temporada passada.

Com base em valores do Transfermarkt, a turma treinada atualmente por David Wagner perdeu nos últimos anos um conjunto de jogadores que representam, na soma dos seus valores na hora de dizer adeus, um prejuízo de 130 milhões de euros. O mesmo leque de atletas apresentam atualmente, em conjunto, 160,5 milhões de euros. Atualmente, o Schalke 04 tem um plantel avaliado em 237,93 milhões, o que mostra que os possíveis 130 milhões, que podiam ser mais elevados face à inflação do mercado, dariam bastante jeito para a formação traçar outros objetivos.

Com o preço mais elevado – 50 milhões -, Leon Goretzka dispensa apresentações, e foi dos últimos craques a deixar o VELTINS-Arena a troco de nada. Joel Matip, Max Meyer, Sead Kolašinac, Choupo-Moting, Klaas-Jan Huntelaar, Dennis Aogo, Neustadter, Christian Fuchs e Prince Boateng, juntamente com os dois atletas acima referidos formam um onze de jogadores que não deixaram qualquer euro no cofre alemão, em épocas que vinham a ser pilares de Gelsenkirchen.

Contudo, estes casos parecem não ter abanado os dirigentes do clube, uma vez que Benjamin Stambouli, Caligiuri e Oczipka, peças importantes na estratégia do timoneiro alemão, terminam contrato em junho deste ano. Os dois defesas e o médio representam um total de 21 milhões de euros, valores que poderiam ser maiores face à atual situação do mercado futebolístico.

Se olharmos a estrelas como Sané, Özil, Draxler, Neuer, Rakitic, Rafinha ou Höwedes que, em tempos, fizeram parte do clube, aos milhões perdidos e a outros jogadores já enunciados, diríamos que este podia ser um “Schalke 01” em todas as competições.